ARTIGOS

Você é substituível ou não?


Essa pergunta é muito oportuna e merece uma atenção especial, vamos discutir sobre ela no texto de hoje. Vou iniciar a abordagem do tema sobre duas linhas ideológicas, a primeira do ponto de vista do insubstituível e a outra do substituível.
Um profissional ao se considerar insubstituível poderá ter excesso de confiança e um ego acima do indicado, ou não. Também sabemos que este mesmo profissional poderá ter um desempenho acima da média e justificar, assim, sua alta valorização dentre os demais profissionais da empresa. Ao contrário, um profissional ao se considerar substituível poderá ter os sintomas adversos aos encontrados no caso anterior, seu ego e confiança poderão estar abalados, poderá, portanto, ter um desempenho abaixo da média onde justificará sua hipótese. Porém, o método adequado aliado a parâmetros corretos elimina o achismo e garante convicção à ambas as partes, tanto para empregador quanto para empregado.
As duas ideologias distintas são resultados da cultura organizacional da sua empresa, da valorização dos méritos, da análise dos dados históricos aprimorados, da aplicação da didática de treinamento e aprendizado e das políticas de relacionamentos intra e interpessoais existentes. Progrido, no intuito de destacar as vantagens em ter uma clareza ideológica de crescimento. Com o seguinte pressuposto, baseie-se no crescimento. Pretendo evoluir a um estado ideológico novo, planejo alterar a moldura baseada do insubstituível, ou não, para o alcançável, ou não.
Entenda da seguinte maneira: Pensar em ser substituível ou não, tem impacto negativo no desenvolvimento profissional, não há vantagens nesse tipo de raciocínio. Pense da seguinte maneira: Posso alcançar meus objetivos, contribuir com minhas qualidades e atributos e desenvolvê-las no decorrer do tempo dedicado. A minha ideia está em tirar o foco do “eu” e direcionar para o “todo”, e, imaginar como o “todo” poderá crescer com a ajuda do “eu”, e, principalmente, como o “eu” poderá crescer com a evolução do “todo”.
DICA: Foco no crescimento e nas condições necessárias para tal, e, priorizar a evolução da empresa para a subsequente evolução de você também ;)
Atenciosamente.
Henrique Fernando Pies - Consultor empresarial

Postado em: Segunda-Feira, 05 Fevereiro 2018.

Gostou desta matéria? Compartilhe com seus amigos...