ARTIGOS

INGERINDO E DIGERINDO INSUMOS

Caros empreendedores é um prazer estar novamente me comunicando com vocês. Essa semana o objetivo do texto está concentrado no fluxo de suprimentos de sua empresa, ou seja, a eficácia e eficiência de sua empresa em ingerir e digerir os insumos. A utilização de insumos é indispensável para toda empresa, e, por sua vez, tem ligação direta com o fluxo de caixa e sistema produtivo.
Lembro que meu objetivo consiste em facilitar a compreensão do conteúdo, ok. Imagine o simples fato de você estar se alimentado, especificamente comendo um sanduíche e bebendo um suco de laranja.
O alimento caracteriza-se sendo o insumo, a matéria prima para a produção de energia de seu corpo. Neste caso, considere três fatores envolvidos ao fato de você estar se alimentando:
1. Você se alimenta porque está com fome, portanto, fome igual a “ir comer”;
2. O tamanho do seu lanche é proporcional ao tamanho de sua fome;
3. O lanche é composto por um equilíbrio de sólidos e líquidos.
Agora imagine que seu sistema digestivo seja o processo produtivo de uma indústria. Os três fatores acima se aplicam da mesma forma:
1. A indústria precisa do insumo na hora certa, portanto, quando a indústria começar de produzir certa peça os insumos precisarão estar à disposição;
2. A quantidade de insumos a ser utilizada será proporcional à quantidade de peças a serem fabricadas;
3. A peça em fabricação requer insumos variados em formatos e quantidades diferentes.
Até o momento os insumos foram correlacionados com o sistema de produção, avançamos para a relação com o fluxo de caixa. Novamente utilizarei alguns fatores para proporcionar melhor compreensão:
1. O lanche a disposição requer desembolso financeiro;
2. A otimização dos recursos deriva da análise de custo/benefício do insumo adquirido;
Compreendido o fato que comida significa insumo para a produção, vou reescrever esses fatores para a sua empresa:
1. Toda ação de compra de insumo afetará diretamente seu fluxo de caixa, tanto em curto quanto longo prazo, de acordo com as negociações de pagamento definidas;
2. Atingir o custo/benefício ideal envolve pesquisas por diferentes fornecedores, os quais empregam tecnologia e matéria prima distintas, e, assim, exigindo da sua empresa avaliação correta de qualidade, preço, prazo de pagamento, usabilidade, garantia e entrega.
Espero ter facilitado a compreensão da gestão correta do fluxo de suprimentos e dos respectivos impactos no fluxo de caixa e de produção. Alguns dos impactos foram apresentados, portanto, uma gestão aperfeiçoada demanda de investimentos em conhecimento, tecnologia e tempo, ou melhor, profissionais capacitados auxiliados por softwares com tempo para otimização da performance.
Boa semana, abraços!
Henrique Fernando Pies - Consultor empresarial

Postado em: Terça-feira, 28 Novembro 2017.

Gostou desta matéria? Compartilhe com seus amigos...