ARTIGOS

Custos, como gerenciar?


Mais uma vez, é uma honra escrever mais esta publicação à você leitor, você que busca saciar sua sede por conhecimento e aprendizado no campo empresarial. Se o custo fosse um elemento da tabela periódica com facilidade poderia ser comparado ao carbono, está presente em praticamente tudo. Assim, tudo que é produzido envolve custo. Não que custo seja algo ruim, a verdade é que ele nunca teve sua importância tão revelada como nos tempos atuais, as exigências do mercado global obrigaram dar-se devida atenção e gerí-lo com consciência. Digo consciência, pois nem sempre diminuir certo custo resulta em ganhos para a empresa.
As medidas recomendadas para melhorar seu desempenho em relação aos custos serão abordadas de forma simples e prática, na qual será fácil ter melhor controle e melhor visão sobre os itens indispensáveis para sua empresa.
Sugiro primeiramente, que o caro leitor faça uma lista de todos os custos envolvidos (diretos e indiretos) na produção e na prestação do serviço, por exemplo, matéria-prima, mão-de-obra direta, água, luz. Cuidado para não confundir custos com despesas, os custos têm relação íntima com o produto/serviço, entanto, sem determinado custo a fabricação ou prestação do serviço não é viabilizada. Ao contrário, despesas são itens secundários não fundamentais para a concepção do produto/serviço.
Agora que você listou todos os custos, recomendo primeiramente que faça um ranking dos mesmos, os ordene por ordem de impacto financeiro e importância. Supondo que na fabricação de uma caneta você tenha os seguintes custos: suporte para tinta, tinta, montador, suporte externo e tampa. Priorizados por impacto de valor e importância serão ordenados da seguinte forma: 1. Tinta 2. Montador 3. Suporte externo 4. Suporte para tinta 5. Tampa.
Para melhorar ainda mais seu controle você poderá separá-los por grupo, por exemplo, A, B e C. Categorizando os itens, A mais essenciais e C menos. Seguindo no exemplo da caneta você poderá incluir no Grupo A: Tinta e Montador, no Grupo B: Suporte externo e Suporte para tinta e no Grupo C: Tampa.
Ótimo, recapitulando tudo que foi executado até o momento. De início todos os custos foram listados, por seguinte, ordenados por impacto financeiro e importância, e por último categorizados em grupos. Agora, sigo ao que mais interessará ao leitor, como agir de forma consciente na melhoria de desempenho e gerenciamento dos custos.
Produto: CANETA
Qualidade: Média
Preço: Regular
Custo/benefício: Muito Bom
Custos
Grupo A: Tinta e Montador
Grupo B: Suporte externo e Suporte para tinta
Grupo C: Tampa.
Onde posso reduzir meu custo sem afetar a qualidade e o preço da caneta? Quando me referia a gestão consciente dos custos era na resposta dessa pergunta que eu estava pensando. Não seria tarefa difícil diminuir os custos, contudo, seguramente o comprometimento da qualidade do produto seria condizente com essa redução.
Algumas dicas:
1 – Contate os atuais fornecedores e tente negociar novos preços, novos volumes de compras;
2 – Revise a tecnologia empregada no seu processo de fabricação, revise oportunizando nova otimização de desempenho.
3 – Pesquise no mercado novas ideias, outros fornecedores, novos lançamentos, para empregar possíveis ganhos em custos e atualizações de produto;
4 – E por último, dê atenção em todos os custos da empresa, do mais baixo ao mais alto, por incrível que pareça a negligência dos custos baixos afeta em demasia nossa falta de competividade no mercado.
Dúvidas sobre custos? Mande-nos um e-mail! atendimento@22performance.com
Grato!
Henrique Fernando Pies, Consultor Empresarial

Postado em: quinta-feira, 17 Maio 2018.

Gostou desta matéria? Compartilhe com seus amigos...